quarta-feira, 30 de maio de 2007

Semente de corrupção...

Decidi aproveitar este meio de comunicação para também escrever sobre algumas coisas que penso, que faço, que acredito. Eu acredito que posso mudar o mundo, assim como cada um de nós pode, se fizermos a nossa parte. Isso mesmo. As boas atitudes dão exemplo e podem mudar a realidade de muita gente, do lugar que vivemos, do nosso mundo. Pois antes mesmo da tão comentada responsabilidade social vem a responsabilidade individual, e é ela que faz a diferença nas empresas, no condomínio, no bairro, na cidade, etc. Cobrar é muito fácil, mas o que você está fazendo efetivamente pra mudar? Se a sua resposta foi nada. Sinto informar que você está no caminho errado. Antes de cobrarmos um governo ético, uma empresa ética, uma sociedade ética temos que ser éticos, temos que dar bons exemplos. E falando em exemplo eu queria ilustrar com uma história que à primeira vista parece engraçada, mas se pararmos pra refletirmos... não é bem assim!Há pouco tempo atrás, eu estava na fila da bilheteria do metrô para comprar a passagem. Em minha frente, um casal jovem com um filho pequeno. Eles pareciam ser de outra cidade e o pai da família perguntou ao atendente da bilheteria: “criança até quantos anos não paga?” e o moço respondeu: “até 6 anos, senhor”. Então o pai virou-se para a mulher e sorrindo disse: “o fulaninho não paga”. O garoto que estava atento à situação replicou na hora: “papai, eu tenho 7” e repetiu: “mas, papai, eu num tenho 7?”.Na hora todos riram inclusive eu e moço da bilheteria, mas logo depois fiquei com aquela história na cabeça. Um pai de boa aparência e uma também aparente boa formação, preferiu mentir a idade do filho a pagar o valor de um bilhete do metrô. Naquele momento, ele inconscientemente estava nutrindo no menino uma semente de corrupção. Exagero? Não. O menino vai deduzir várias hipóteses daquela situação, e uma delas é a de que ele pode mentir para obter vantagens financeiras. Assim como nós no dia a dia fazemos uma série de ações que supostamente nos beneficiam. Mas, até que ponto nós não estamos corrompendo e não somos corrompidos? Vale a reflexão! Afinal a verdadeira responsabilidade parte de nós.

5 comentários:

Bruxa do Vinil disse...

Sim, sim, sim!!!!
Um bom exemplo vale mais que mil sermões, afinal, não podemos DAR aquilo que não trazemos em nós.

Beto Collin disse...

Ficou show o texto Cath!
Temos que dar sempre bons exemplos pra poder exigir algo. Me lembrou os vídeos sobre pirataria que estão nos últimos DVDs que alugamos.
Aliás, agir contra a pirataria não deixa de ser uma responsabilidade social.

kisses

(=beto collin=)

Ana Carolina e Fernando disse...

Muito legal seu blog e muuiitto legal seu texto que nos faz pensar realmente nos nossos deveres de cidadão...Seguirei atenta às novas postagens! Beijos
Carol,

P.S: Gostei do site do Gife do lado;):):)

Anônimo disse...

Ola! ainda não tinha entrado no site... ficoi show, menina! Parabens :) um beijo, vandreza

Anônimo disse...

Neste texto lembrei daquela frase do Gandhi "devemos ser a mudança que queremos ver"... beijos da vandreza